Sérgio Bloch

Sérgio Bloch

Sérgio Bloch iniciou sua carreira profissional em 1983, como cinegrafista, tendo realizado inúmeros vídeos institucionais e comerciais para diversas produtoras, até 1998, quando fundou a Abbas Filmes, produtora de filmes, documentários e séries de TV, cujo foco é a realização de produtos que conciliem informação de qualidade com bom entretenimento.

Em 95, dirigiu e produziu o média-metragem Burro-Sem-Rabo, com roteiro premiado no I Concurso de Roteiros da Riofilme, tendo participado dos seguintes festivais:
Festival Internacional de Documentários Its All True, no Brasil;
Festival de Cinema e Vídeo de Curitiba, Brasil (Prêmio de Melhor Filme pela Crítica Especializada);
Festival de Cinema e Vídeo do Maranhão, Brasil (Prêmio OCIC de Melhor Filme, Prêmio Melhor Filme do Jurí Popular, Prêmio Incentivo Itaú);
Jornada da Bahia, Brasil – (Prêmio de Melhor Documentário);
V Festival de Cuiabá, Brasil (Prêmio Melhor Média-metragem, Prêmio Melhor Filme do Juri Popular);
25º Festival de Brasília, Brasil (Prêmio Especial do Juri);
IDFA – International Documentary Film Festival Amsterdam, Holanda;
Bilan du Film Ethnographique, França;
Festival di Corto-metraggio, Itália;
Festival for Documentary, Alemanha;
Festival de Documentario Amascultura, Portugal;
Festival International for Animation and Documentary, India (The Best First Film Award);

Em 98, co-dirigiu o longa-metragem infanto-juvenil Tainá, Uma Aventura na Amazônia, que concorreu, entre outros, nos seguintes festivais:
Festival do RIO BR 2000, Brasil (Prêmio de Melhor Filme do Juri Popular);
New York International Children’s Film Festival, EUA;
5º. Brazilian Film Festival of Miami, EUA (Prêmio de Melhor Fotografia);
5º. Sanghai International Film Festival, China;
Chicago International Children’s Film Festival, EUA (Prêmio de Melhor Filme do Juri Popular);
1º Festival Int’l de Cine p/ la Infancia y Juventud de Mar del Plata, Argentina (Premio de Musica original y Largo Metraje de Ficción);
Festival International de Cinema de Calcutah, Índia;
12º Childrens Film Festival in Cologne, Alemanha (The First Prize of the Festival);
XII Vienna International Film Festival, Austria (Winner of the Best Film Award – Audience Jury);
XXI Children Film Festival in Augsburg, Alemanha.

Em 2000, foi convidado a fazer parte do projeto Video nas Aldeias, que se dedica a formar cineastas indígenas através de Oficinas realizadas nas próprias aldeias. O projeto, que acaba de completar 25 anos de existência, já formou dezenas de documentaristas, de diversas etnias, e produziu mais de 50 filmes.

Em 2001, roteirizou, produziu e dirigiu o documentário de longa-metragem Olho da Rua, sobre os profissionais que fazem das ruas da cidade do Rio de Janeiro seu local de trabalho, que teve exibições nas seguintes mostras e festivais:
VI Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, Brasil;
XIV International Documentary Film Festival Amsterdam, Holanda;
26º. Bilan du Film Ethnographique, França;
Global Vision Fim Festival, Edmonton, Canadá;
Mostra do Filme Livre, Brasil;

Em 2002, realizou o curta-metragem Mini Cine Tupy, com o prêmio do II Concurso de Curtas para Mídia Digital da Petrobrás. O filme foi exibido no Canal Plus da França, e na NHK, do Japão, bem como em diversas mostras e festivais, entre eles:
IV Fluxusonline – Festival Internacional de Cinema pela Internet, Brasil (Melhor Documentário);
V FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, Brasil (Melhor Curta Metragem);
2º. Curta Santos (Melhor Vídeo Brasilis);
25º. Festival internacional Del Nuevo Cine Latinoamericano de Havana, Cuba (Menção Especial das Casas de Cultura);
9ª. Mostra Internacional de Filme Etnográfico, Brasil (Prêmio GNT de Melhor Filme e Menção Honrosa do Museu do Folclore);
3º.Ecocine (Menção Honrosa: Melhor Roteiro);
8º. FAM – Florianópolis Audiovisual Mercosul, Brasil (Melhor Vídeo do Júri Especial);
18º Mostra de Vídeo Brasileiro de Santo André, Brasil (Melhor Vídeo do Júri Oficial);
Planet in Focus (Canadá) (Best Short Film);
Margaret Mead Film and Vídeo Festival, EUA;

Em 2005, estreou o documentário Tudo Sobre Rodas, que participou dos seguintes festivais:
10º. Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, Brasil (Menção Honrosa da ABD/SP);
XII Cinesul – Festival Latino-americano de Cinema e Vídeo, Brasil (Melhor Filme do Júri Popular);
Festival do Rio 2005 (sessão competitiva), Brasil;
Festival Autres Brésil, França;

Em 2006 produziu e dirigiu Amazônia, histórias da nossa História, documentário encomendado pela Fundação Roberto Marinho, sobre o Estado do Acre, e que foi veiculado no Canal Futura, Rede Globo de Televisão e Globo Internacional, com exibição em mais de 40 países.

Em 2007 produziu e dirigiu o documentário Sobre Rodas Brasil, com o prêmio do edital da ITVS (Independent Television Service), que é um braço da PBS (Public Broadcast Service), canal público de TV americano, exibido no Doc Chanel, um dos canais do grupo PBS.

Em 2008, Sérgio lançou o documentário Presidente Vargas, biografia de uma Avenida, sobre a polêmica construção desta grande avenida carioca, e produziu Ninguém Segura este País, média-metragem montado a partir de filmes de arquivo do período militar, e que foi contemplado no último edital de cinema da Petrobrás. Ainda em 2008 seu curta Sheila foi o vencedor do 1º. Cel.U.Cine, onde também foi escolhido como melhor videomaker da competição.

Em 2009, produziu uma série de vídeos para o projeto Igarité, que a Fundação Roberto Marinho está desenvolvendo no Estado da Amazônia.

Em 2010 finalizou o curta-metragem Na Boca do Povo, sobre “gastronomia popular carioca”, vencedor do 11º Concurso de Roteiros da Riofilme. A partir dele concebeu e editou os livros “Guia Carioca da Gastronomia de Rua” 1 e 2 (Premio de Cultura do Estado do Rio de Janeiro), e o “Guia Gastronômico das Favelas do Rio”, que obteve mais de 2 milhões de reais em mídia espontânea.

Em 2011, dirigiu dois episódios para a série Viver para Contar, da Discovery Channel, para a produtora Conspiração Filmes.

Em 2013, dirigiu a série Sobre Rodas América Latina, com 13 episódios de 26 minutos, exibida nos canais da Turner e na TV Futura.

Em 2014 produziu e dirigiu 28 episódios do quadro Hoje é Dia de…, para o programa “Como Será”, exibido na TV Globo, Canal Futura e no canal a cabo Globo News.

Em 2015 iniciou a produção da série Na Boca do Povo, com 13 episódios de 26 minutos cada, selecionada pelo Fundo Setorial do Audiovisual, e que será exibida na TV Brasil em 2016.